2013-02-22

Amarelos são os dias!

De amarelo te vestiste para contemplação única de prazer e emoção. Quantas lembranças guardo no peito, de rosas amarelas, que o tempo apenas e nunca apagou!

2011-11-01

Tons de Outono



O castanho dourado varreu o verde intenso da paisagem. O verde desmaiou de mansinho no preto imaculado da calçada, o mar mesclou-se de cinzento em odes de boas vindas ao outono. Eu, guardei os amarelos, côr de luz, no armário do verão e desabrochei nos azuis/cinzentos desta estação, como quem deixa para trás as quimeras de um sonho adormecido.

O outono renasce nas cinzas perpetuadas da memória do verão. Quem sou eu? senão folha verde d'outrora que se tornou em castanho dourado nos caminhos da vida!

2011-09-01

Solta-se a fantasia!!!

Ergue-se imponente como guardião da nossa vila! Belo, singular, único! De negro vestido, salpicado de verde e abraçado pelo azul do céu... Ao olhá-lo soltam-se as emoções, devaneios que adormecem de mansinho no salgado do mar... Soltam-se fantasias de piratas de outras eras, de sereias que nunca vimos e de emoções que deixamos voar nas asas de uma cagarra!!!


2011-08-20

Almoço de amigos

Aceitei o convite do José Augusto, mais uma ano, reunimo-nos num almoço de confraternização onde se partilham ideias e se tecem criticas saudáveis... Para aqueles que não têm medo de dar a cara. Até daqui a um ano!

2011-08-17

silêncios



No silêncio das palavras... desnudam-se as emoções...

2011-04-27

Apenas porque...

Tenho andando meio afastada de ti (blogue), talvez porque o dia a dia me obriga a centenas de coisas, talvez porque não vale a pena partilhar sentimentos na net. Não te esqueci, apenas deixei-te guardado na caixinha das memórias.
O país está em alvoroço, não sabemos o dia de amanhã, já nem vislumbramos a hora seguinte, quanto mais o dia. Sei apenas, que a geração que vai sofrer com esta crise, nada fez por ela. Tentámos, sim tentámos todos, dar um futuro melhor aos nossos filhos, fizemos asneira, isso sei-o. Em vez de tempo de qualidade com eles, comprámos o tempo deles, demos o computador, a play station, a televisão no quarto, as roupas de marca,demos tudo o que se podia comprar, mas não os ouvimos, não participámos nas suas vidas, apenas demos! Não soubemos dar-nos! Sei apenas que errámos e que quem vai pagar o nosso erro, são aqueles que tentámos proteger. Vamos a tempo de remediar isto? Vamos!!! Em vez de comprar usemos o verbo dar.

2011-04-15

Melancólica

Acordou assim, com ar de tempestade! Fascinante, apesar de melancólica!